Entre os séculos I a.C. e IV d.C., o império romano expandiu-se pelas terras bascas, dando lugar à fundação da cidade de Oiasso, hoje conhecida como Irun. Situada na província de Guipúscoa, na Comunidade Autónoma do País Basco, a cidade situa-se na foz do rio Bidasoa, fazendo fronteira com França e nos limites da Comunidade Foral de Navarra. É a segunda cidade de Guipúscoa, a seguir à sua capital, situada a 17 km, e tem uma população de perto de 62000 habitantes, e uma importante localização estratégica, ao ser um dos principais portos de passagem fronteiriços.

As investigações arqueológicas das últimas décadas permitiram identificar a Oiasso das fontes clássicas, citada por Estrabón, Plínio e Ptolomeu. Estrabón, geógrafo na época de Augusto e Tibério, menciona a pólis de Oiasso como uma das cidades da região de Pompelo (Pamplona) «na margem do oceano», e que «termina juntamente na fronteira entre a Aquitânia e Iberia». As marcas da presença romana perduram nos numerosos vestígios encontrados, entre os quais se destacam a necrópole da ermida de Santa Elena, as explorações mineiras de Aiako Harria, o porto descoberto na rua Santiago e Tadeo Murgia de Irun, e as termas situadas atrás do atual Museu Romano de Oiasso.

Uma das atividades mais destacadas que a cidade oferece é o Dies Oiassonis, festival de reconstituição histórica que se celebra no mês de julho, desde o ano 2010, e que permite descobrir, conhecer e desfrutar do passado romano da cidade de uma maneira diferente. Outro evento importante é o Festival Internacional de Cinema Arqueológico de Bidasoa (FICAB), que decorre no outono e se celebra desde 2001, com o fim de divulgar e de dar a conhecer a arqueologia à sociedade, através da difusão de obras audiovisuais sobre os resultados das investigações dos arqueólogos.

OIASSO – Irun, Euskadi

Oiasso Irun
Oiasso

Museu romano Oiasso

Museu romano Oiasso
Museu romano Oiasso

O Museu Oiasso de Irun é um museu municipal arqueológico, que reúne os objetos da época romana encontrados no entorno da cidade de Oiasso, com a missão de dar a conhecer o património arqueológico da zona, e de se converter no centro de referência para o conhecimento e divulgação da época romana no golfo de Biscaia. O Museu oferece a oportunidade de conhecer de forma amena a antiga Oiasso, através dos diferentes espaços que exploram o impacto do mundo romano na sociedade local, a descoberta arqueológica do porto, e a vida urbana dos séculos I e II da nossa era

Calle Eskoleta, 1
20302 Irun

Coordenadas GPS:
Latitude: 43,340046
Longitude: -1,787799

www.oiasso.com
info-oiassomuseo@irun.org
Telefone: +34 943 63 93 53


Facebook     Twitter    Flickr   Youtube

Horário

OUTUBRO A MAIO

  • Terça, quarta, quinta e domingo: 10 a 14 horas
  • Sexta e Sábado 10 a 14/46 a 19 horas
  • Fechado às segundas e domingos à tarde

JUNHO A SETEMBRO

  • De terça a sábado: 10 a 20 horas
  • Domingos: 10 a 14 horas
  • Fechado às segundas e domingos à tarde

Necrópole de Santa Elena

Necrópole de Santa Elena
Necrópole de Santa Elena

No interior da ermida medieval de Santa Elena localizou-se a necrópole ou cemitério de Oiasso. Ali foram encontradas urnas com cinzas, junto com enxovais funerários que incluíam recipientes de cerâmica, acus crinalis ou agulhas de osso para o cabelo, e fíbulas, para citar apenas algumas das peças encontradas.

A ermida alberga no seu interior uma excelente coleção de objetos, que permitem conhecer melhor a vida quotidiana dos habitantes de Oiasso, similar em muitos aspectos à de outras cidades romanas da beira atlântica.

Junto com os enterramentos, localizaram-se os alicerces de dois edifícios, que se supõe serem mausoléus. Um deles, de maiores dimensões, foi reutilizado no século X por Guillermo Sancho, Duque da Aquitânia, como templo cristão, com a incorporação de um altar. O uso religioso do espaço mantém-se até aos nossos dias, com a construção da ermida atual.

Calle Ermita, 2
20304 Irun

Coordenadas GPS:
Latitude: 43.335478
Longitude: -1.785275

www.oiasso.com
info-oiassomuseo@irun.org
Telefone: +34 943 63 93 53


Facebook     Twitter    Flickr   Youtube

Horário

Visitas comentadas (por marcação prévia através do telefone 943 63 93 53).
Todos os sábados, às 11:00

Minas de Irugurutzeta

Hornos de Irugurutzeta

O espaço patrimonial de Irugurutzeta inclui um conjunto de galerias mineiras e de fornos de calcinação de mineral. A visita realiza-se viajando no Comboio Mineiro, que recolhe os passageiros no próprio museu, conduzindo-os até ao lugar da exploração mineira.

Embora a exploração mineira de Aiako Harria e do seu entorno se remonte à época romana, as estruturas que se podem visitar em Irugurutzeta estão relacionadas com a atividade mineira do século XX, dedicada à extração do ferro.

O mineral era transportado dos lugares de extração até aos fornos em vagonetas que circulavam sobre carris ou por via aérea, com uma rede de cabos em que circulavam caldeiros. Uma vez ali, o mineral era calcinado nos fornos, para o converter em óxido, e enriquecer o metal.

Barrio Meaka, 110
20305 Irun

Coordenadas GPS:
Latitude: 43.3179905
Longitude: -1.7722181

www.oiasso.com
Telefone: +34 943 63 93 53
info-oiassomuseo@irun.org


 Facebook      Twitter     Flickr    Youtube

Horário

Visitas comentadas (por marcação prévia através do telefone 943 63 93 53). 

De setembro a junho

  • todos os domingos às 11: 00h.

De julho a agosto

  • quinta, sexta e sábado às 17:00.

Termas

Termas

As termas no mundo romano eram banhos comunitários, com várias piscinas de água a diferente temperatura. As termas também serviam como lugar para a prática do exercício físico e para o ócio.

As termas públicas de Oiasso foram localizadas e escavadas no jardim traseiro do museu, e aguardam a sua musealização. Durante as escavações identificaram-se três aposentos com hipocausto, um sistema de aquecimento baseado na circulação do ar quente por um sistema de condutas subterrâneas.

O aposento de maior tamanho, o frigidarium, ou sala de água fria, conserva o pavimento de opus spicatum, com tijolos dispostos em forma de espiga. Hoje em dia podemos conhecer melhor a sua distribuição e aparência graças a uma reconstrução virtual utilizando a técnica de realidade aumentada.

ALOJAMENTOS

A Região de Bidasoa oferece ao visitante muitas opções de alojamento, com uma ampla oferta de hotéis, pensões e apartamentos distribuídos por toda a cidade. Além disso, a região conta com dois parques de campismos, dois albergues e muitas casas de turismo rural e de agroturismo, que permitem aos visitantes desfrutar de um ambiente tranquilo, rodeado de espaços verdes e sem grandes aglomerações, em qualquer época do ano.

Despertar num entorno medieval, desfrutar de uma jornada de compras, descobrir o passado romano, praticar trekking, desfrutar de uma agradável conversa com os peregrinos que percorrem o Caminho de Santiago, descobrir um recanto onde desfrutar da observação dos pássaros da zona não é difícil, para quem decida alojar-se na nossa região. Esperamos a sua visita.

Hotéis 

Pensões 

Entorno rural 

Parques de Campismo 

  Albergues

Peregrinos

RESTAURANTES

Cozinha tradicional 

A característica mais destacada da cozinha bidasotarra é a qualidade dos seus produtos, fruto da cultura marinheira da sua população. Os peixes e os mariscos não faltam em nenhum restaurante, bem como produtos da terra e as melhores carnes dos arredores. Combinar com acerto os produtos do mar e da terra é algo que os homens e mulheres de Bidasoa sempre souberam fazer com sabedoria.

Cozinha inovadora 

A arte culinária evoluiu e deu lugar a uma cozinha de alta qualidade, a cozinha de autor, preservando os sabores de um produto fresco, natural e de qualidade, manipulado na sua justa medida. Verdadeiros artistas dos fogões colaboram na preservação e na recuperação de velhas receitas, e dão um toque de inovação à cozinha tradicional, revalorizando e inovando pratos de origem humilde. Os seus restaurantes são verdadeiros templos da gastronomia, capazes de satisfazer o paladar mais refinado.

As sidrerías 

Outro “ritual” ligado à cultura gastronómica, muito popular na região bidasotarra, é a “sidrería”. Nestes estabelecimentos, cuja abertura de temporada tem lugar a partir do mês de janeiro, bebe-se a sidra sacada diretamente da “Kupela” ou barril, acompanhada por saborosos petiscos locais. Omeleta de bacalhau, bacalhau com pimentos, uma suculenta costeleta, e para a sobremesa queijo, nozes e marmelo. Tudo acompanhado por um ambiente singular, que leva sempre a querer repetir a experiência.

Outros estabelecimentos 

Além da alta cozinha e da cozinha tradicional ou local, também é possível encontrar na região uma ampla variedade de oferta gastronómica.

Posto de Turismo

Plaza Luis Mariano, 3
20302 Irun

Coordenadas GPS:
Latitude 43.3397941
Altitude -1.7947363

www.bidasoaturismo.com 
Telefone: +34 943 02 07 32
turismo@bidasoa-activa.com


Facebook     Twitter

Posto de Turismo - Irun

Horário

  • Inverno
    16 de setembro – 29 de junho
    Terça a Sábado: das 10: 00h às 13: 30h / 15: 30h às 19: 00h
    Segunda: das 15:30 h às 19:00 h
  • Verão
    2 de julho a 15 de setembro
    De segunda a sábado: das 10:00 h às 13:30 h e das 15:00 h às 19:30 h
    Domingo: das 10:00 h às 14:00 h

Como chegar

Irun encontra-se na província de Guipúscoa, na Comunidade Autónoma do País Basco, junto à foz do rio Bidasoa e à baía de Txingudi, fazendo fronteira com a França e nos limites da Comunidade Foral de Navarra.

Irun é um ponto nevrálgico do transporte ferroviário e rodoviário, sendo ponto de origem ou de destino de grande número de viagens nacionais e internacionais, ao situar-se a menos de 30 quilómetros dos aeroportos de Biarritz e de San Sebastián, em Hondarribia. A cidade esforça-se por facilitar a mobilidade urbana sustentável, favorecendo a criação de vias para meios de transporte não contaminantes, ciclovias e caminhos pedonais.

De avião

  • Aeroporto de San Sebastian (Hondarribia)
  • Voos diários a Madrid e Barcelona
  • Aeroporto internacional de Biarritz
  • A 25 minutos da baía pela A63
  • Voos diários a Paris – Orly e Roissy (EasyJet e Air France)
  • Voos diários a Lyon et Clermont-Ferrand
  • Voos diários a Londres (Ryan Air e EasyJet)
  • Voos semanais a Dublim (Ryan Air)
  • Voos semanais a Helsínquia (Blue1)
  • Voos semanais a Marselha (Ryan Air)
  • Voos semanais a Lille (Companhia Regional)
  • Além de Paris, Lyon, Londres, Clermont-Ferrand, Marselha, Nice,
  • Genebra, Bristol, Dublim et Birmingham, está previsto um novo destino para 2010:
  • Amesterdão, com a companhia Transavia.com, que oferecerá 3 voos semanais

De comboio

  • Estação de comboio de Hendaye
  • ligação de comboio de alta velocidade (AVE) várias vezes por dia, desde Paris-Montparnasse. Bidasoa-Txingudi e Paris encontram-se apenas a 5 horas de viagem por comboio!
  • Hendaye – Paris- Genebra – Vintimille
  • www.voyages-sncf.com
  • Estação de comboio de Irun
  • Irun – Madrid, Espanha e Portugal
  • www.renfe.es

De automóvel

As autoestradas A63 (www.asf.fr/A63) e A64 (www.asf.fr/A64) ligam a baía de Bidasoa-Txingudi com Bordéus, Paris, Toulouse ou Perpinhã a Norte, e a autoestrada A8 conecta a região com San Sebastián, Pamplona, Bilbau, Madrid e Barcelona ao Sul.

De barco

  • Jolaski – 0034 639 617 898 – www.jolaski.com
  • Marie Louise – 0033 (0)6 07 02 55 09

Mobilidades  

Transporte  

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies ACEPTAR

Aviso de cookies